Disable Preloader

Relatos de Amamentação

Michele: mãe do Francisco
mãe do Francisco

Ouvi muitas pessoas dizerem para eu não me iludir com a amamentação, pois é muito difícil. Disseram-me que na minha família as mães não são muito “leiteiras” e não conseguiram amamentar.

Descobri uma coisa importante: amamentar começa na cabeça e no coração. A mente é quem manda! A informação possibilita!

Muitas foram as dificuldades iniciais. Bicos rachados, seios empedrados. Sim, doeu muito. Muito mesmo! Precisei furar ductos obstruídos com agulha. No começo eu não sabia amamentar e o Chico não sabia mamar. Tivemos que aprender juntos! Sem falar que até hoje não posso tomar leite e seus derivados, pois ao passar para meu leite, a proteína do leite de vaca dá alergia nele. Quantas vezes eu pensei em desistir? NENHUMA! Queria conseguir e me dediquei a isso! Não acho que seja sacrifício, mas sim minha tarefa enquanto mãe!

Chorando de dor, recebia meu bebê feliz nos braços. Sabia que amamentar é o amor em forma líquida! Vínculo maravilhoso e divino!

Após a dor e as dificuldades iniciais, é só prazer!

Salvo raras exceções, TODA mulher consegue amamentar SE tiver orientações e informações corretas. SOMOS MAMÍFERAS! SOMOS OS SERES HUMANOS MAIS PERFEITOS!

 

Coisas que ouvi e que não ajudam em nada:

“Ele está chupetando.”

Como ele poderia chupetar sem conhecer chupeta? Ele estava ganhando carinho, amor. Estava estimulando a produção de leite e aprendendo a sugar.

“O bebê precisa mamar de três em três horas.” MITO

VERDADE: o bebê PRECISA mamar quando quer, em livre demanda, ou então a produção de leite diminui.

No início, o Chico mamava por horas, pois precisava criar força e aprender a sugar.

A mamadeira para o bebê dormir é um passo para o desmame também. Por isso, não comprei kit de mamadeiras. Aqui só tem TETA!

“Acho que o leite não está sustentando, porque ele pede a toda hora.” MITO

VERDADE: o leite sustenta sim! A fórmula pesa no estômago, por isso o bebê dorme por mais tempo. Além disso, quem está começando agora pode achar que o leite diminuiu porque não está com os seios cheios e o bebê não espera encher para mamar. O erro é dar fórmula nesse período. Com o tempo, a produção de leite regula e muito do leite é produzido durante a mamada. Tenha fé. Você tem leite e ele é muito melhor que o de lata. A indústria não consegue produzir amor e vínculo. Mesmo os seios “murchos” produzem leite!

Ouvi pessoas dizerem que o leite não desceu. Sobre isso, afirmo que a falta de apoio e informação pode fazer você achar isso. O leite definitivo pode demorar até quinze dias para descer, ainda mais se for cesárea. Tenha paciência e insista.

Ouvi dizer que o leite seca com estresses. MENTIRA!!! Passei por vários. Quem não passa? Mais que eu, vi minhas amigas passarem por perdas, por situações REALMENTE difíceis e conseguirem. A volta ao trabalho também não é desculpa. No grupo de mães Maternati, muitas estão ordenhando e estocando leite para continuarem a exclusividade por seis meses. AMO VOCÊS, MENINAS! Vocês me inspiram todos os dias!

Amamentar não tem preço, em todos os sentidos. As fórmulas são caras e não chegam aos pés do leite humano. Elas podem causar alergias e problemas no sistema digestório do bebê. Para amamentar não precisa ferver água e misturar em pó. É só oferecer o peito a qualquer hora e em qualquer lugar!

Sou grata à experiência de doar leite também. Para quem ouviu que era fraca e não comia carne, será que teria leite? Rsrs

Pude doar um pouco do meu amor para bebês que não conheço, mas tiveram motivos reais para precisarem de ajuda. Torço para que, passadas as dificuldades, suas mães tenham conseguido aconchegá-los no peito!

Aprendi que AMAMENTAR é a junção de AMAR+ALIMENTAR! Nutrir com corpo, alma e coração. É entrega, é isolamento, é conexão, é doar o corpo inteiro em qualquer condição, é amor que sai das entranhas da gente, que rasga de emoção. Filho, continuaremos até quando você quiser. Essa é a expressão máxima da minha entrega a você! A cada mamada te amo mais!

Obrigada ao Banco de Leite, às doulas lindas do Maternati Grupo de Gestantes e Mães, ao IC Vacinas, à enfermeira Débora da Unimed, às amigas do grupo de mães pelo apoio, socorro e informações corretas. Sem vocês seria muito mais difícil. Com vocês, me fortaleci.

Obrigada ao esposo que sempre me ajudou a segurar a dor e a produzir amor!

Obrigada à minha mãe, que não mediu esforços para cuidar de mim.

Amamentar mudou minha vida. Não sou mais mãe que as outras, mas me sinto mais mulher e mais capaz, com certeza!

 

#amornãodáemlata

#livredemanda

#vaitertetasim

Compartilhar: